"Uma visão sistêmica do direito, pela qual só há direito quando a solução traz paz e equilíbrio para todo o sistema." Sami Storch

divider

1ª Vivência de Constelações Sistêmicas na Justiça Criminal

separator

1ª Vivência de Constelações Sistêmicas na Justiça Criminal

/ 31 Comentários /

As constelações colocaram frente a frente representantes do assassino e da vítima, do traficante antigo e do jovem traficante, bem como de seus familiares

IMG_3275No dia 19 de dezembro de 2013, realizou-se pela primeira vez uma vivência de constelações familiares na Justiça Criminal, com o tema “A Violência nas Famílias – Origens e Soluções”, para a qual foram convidadas as partes envolvidas (vítimas e agressores) em cerca de 80 processos da Vara Criminal da Comarca de Amargosa originados de conflitos familiares, além de advogados, membros da polícia, do Conselho Tutelar, do CRAS, do CAPES e do CREAS. O evento foi divulgado na imprensa local e contou também com a presença de outras pessoas interessadas, que compareceram espontaneamente.

O evento lotou o Salão do Juri da Comarca de Amargosa/BA

O evento lotou o Salão do Juri da Comarca de Amargosa/BA

O salão do juri ficou lotado com a presença de 110 pessoas, das quais 66 disseram estar envolvidas em processos da Justiça Criminal (29 como réus e 37 como vítimas); outras 7 disseram estar ali por serem familiares de réus ou vítimas; e 37 disseram ter interesse pessoal ou profissional, apesar de não terem envolvimento direto em fatos que resultaram em processos criminais.

Depois de lotado o salão, outras tantas pessoas que continuaram chegando não puderam entrar, e lhes foi prometido que em breve haverá outras atividades semelhantes.

O juiz Sami Storch, titular da Vara Criminal da Comarca de Amargosa, iniciou os trabalhos com uma palestra sobre Bert Hellinger, as constelações familiares e a visão sistêmica da violência, na qual foram tratados temas como as ordens sistêmicas dos relacionamentos, os fatos do passado familiar que podem levar alguém a envolver-se em atos de violência como agressor ou vítima e a explicação de Bert Hellinger sobre a consciência boa e má, decorrente da lealdade de cada um ao seu sistema familiar.

Em seguida foi feita uma meditação, onde as pessoas puderam se visualizar incluindo e acolhendo os excluídos da sua própria família e também olhar para o sistema familiar do outro, sentindo os efeitos dessa inclusão.

Meditação permitiu que cada pessoa presente visualizasse sua própria constelação familiar

Meditação permitiu que cada pessoa presente visualizasse sua própria constelação familiar

Depois, foi explicado o procedimento das constelações e proposto que os profissionais presentes apresentassem questões com as quais estivessem lidando, para que pudéssemos observar as dinâmicas sistêmicas envolvidas por meio da colocação da constelação.

Representantes vivenciam o encontro de um filho com seu pai assassinado

Representantes vivenciam o encontro de um filho com seu pai assassinado

Foram colocadas duas constelações. A primeira, apresentada por uma promotora de justiça, dizia respeito a uma mulher acusada de abandono e maus tratos contra o filho. Foram colocados representantes para os dois, que não conseguiam se olhar. Com o desenvolvimento da constelação, mostrou-se que aquela família estava sofrendo as consequências do assassinato do pai do garoto, e depois de serem incluídos representantes do pai e do assassino, a mãe e o menino puderam finalmente se olhar como mãe e filho.

Constelação demonstrou a dinâmica familiar que tornou o jovem vulnerável diante do tráfico de drogas

Constelação demonstrou a dinâmica familiar que tornou o jovem vulnerável diante do tráfico de drogas

Através de representantes, vimos o efeito da inclusão dos familiares e do correto posicionamento do Conselho Tutelar. Na foto, jovem se defronta com o traficante.

Através de representantes, vimos o efeito da inclusão dos familiares e do correto posicionamento do Conselho Tutelar. Na foto, jovem se defronta com o traficante.

A segunda questão foi trazida por uma conselheira tutelar e tratava de um jovem envolvido com o tráfico. A colocação de representantes para o rapaz e sua família de origem, incluindo a mãe esquizofrênica (já falecida) e o pai que ele não conheceu, lhe deu firmeza e segurança. Colocamos também um representante para um traficante, e foi surpreendente observar como foi necessário que o garoto assumisse uma postura de respeito e gratidão em relação ao traficante para que este se afastasse.

Por enquanto, deixo os leitores com esses resumos. Em breve divulgaremos as datas das próximas vivências de constelações na Justiça, e os que tiverem interesse em participar serão bem vindos!

separator

separator