"Uma visão sistêmica do direito, pela qual só há direito quando a solução traz paz e equilíbrio para todo o sistema." Sami Storch

divider

Constelações Familiares na Vara de Família viabilizam acordos em 91% dos processos

separator

Constelações Familiares na Vara de Família viabilizam acordos em 91% dos processos

/ 7 Comentários /

Imagem

Palestra Vivencial “separação de casais, filhos e o vínculo que nunca se desfaz”

Neste post, quero relatar alguns resultados observados com a aplicação das constelações familiares na Vara de Família da Comarca de Castro Alves/BA, no período de outubro de 2012 a junho de 2013.

Realizamos seis eventos (palestras vivenciais) com o tema “Separação de casais, filhos e o vínculo que nunca se desfaz”, com a participação de pessoas envolvidas em ações judiciais na área de família.

Esses eventos têm início com uma palestra, proferida por mim, sobre os vínculos sistêmicos familiares, as causas das crises nos relacionamentos e a melhor forma de lidar com isso, principalmente de modo a preservar o desenvolvimento sadio dos filhos. Em seguida é feita uma meditação, pela qual as pessoas entram em contato com o verdadeiro sentimento de amor e perda decorrente da crise familiar. Depois, podem vivenciar o método das constelações familiares – “constelando” sua própria questão familiar, participando da constelação de outra pessoa como representante de alguém da família ou apenas como observadores.

Na constelação familiar, uma pessoa se propõe a “olhar” para o seu próprio sistema familiar. Então são escolhidos, entre os presentes, representantes para essa pessoa e para os membros de sua família. Com o decorrer do trabalho, esses representantes começam a expressar sentimentos que traduzem as dinâmicas ocultas nos relacionamentos nessa família, chegando muitas vezes às origens das crises e dificuldades enfrentadas, que podem estar relacionadas a fatos ocorridos no passado familiar de cada um (inclusive de gerações anteriores). Podem, também, observar quais os movimentos e posturas que conduzem a uma solução.

MUTIRÃO DE CONCILIAÇÃO: Algumas semanas depois das palestras, realizamos um mutirão de conciliação, no qual boa parte das audiências envolveu uma ou mais partes que participaram da palestra vivencial de constelações familiares.

Durante essas audiências, os conciliadores notaram maior facilidade de conciliar nos processos em que uma ou ambas as partes vivenciaram o evento de constelações familiares.

Além disso, aplicamos questionários a fim de avaliar os efeitos do evento, quantitativa e qualitativamente. Os resultados vêm mostrando o quão positivos estão sendo os efeitos desse trabalho sobre cada uma das partes envolvidas e suas famílias, bem como no tocante às relações humanas com as quais lidamos no cotidiano forense.

RESULTADOS: Das 90 audiências dos processos nos quais pelo menos uma das partes participou da vivência de constelações, o índice de conciliações foi de 91%; nos demais, foi de 73%. Nos processos em que ambas as partes participaram da vivência de constelações, o índice de acordos foi de 100%.

Além disso, os conciliadores relataram uma extraordinária facilidade para obter conciliações entre pessoas que participaram do evento de constelações, que já chegavam dispostas a realizar acordo.

Através de questionários respondidos após a audiência de conciliação por 80 pessoas que participaram das vivências de constelações ao longo do 1º semestre de 2013, obtivemos as seguintes respostas:

  • 59% das pessoas disseram ter percebido, desde a palestra, mudança de comportamento do pai/mãe de seu filho que melhorou o relacionamento entre as partes. Para 28,9%, a mudança foi considerável ou muita.

  • 59% afirmaram que a palestra ajudou ou facilitou na obtenção do acordo para conciliação durante a audiência. Para 27%, ajudou consideravelmente. Para 20,9%, ajudou muito.

  • 77% disseram que a palestra ajudou a melhorar as conversas entre os pais quanto à guarda, visitas, dinheiro e outras decisões em relação ao filho das partes. Para 41%, a ajuda foi considerável; para outros 15,5%, ajudou muito.

  • 71% disseram ter havido melhora no relacionamento com o pai/mãe de seu(s) filho(s), após a palestra. Melhorou consideravelmente para 26,8% e muito para 12,2%.

  • 94,5% relataram melhora no seu relacionamento com o filho. Melhorou muito para 48,8%, e consideravelmente para outras 30,4%. Somente 4 pessoas (4,8%) não notaram tal melhora.

  • 76,8% notaram melhora no relacionamento do pai/mãe de seu(ua) filho(a) com ele(a). Essa melhora foi considerável em 41,5% dos casos e muita para 9,8% dos casos.

  • Além disso, 55% das pessoas afirmaram que desde a vivência de constelações familiares se sentiu mais calmo para tratar do assunto; 45% disseram que diminuíram as mágoas; 33% disse que ficou mais fácil o diálogo com a outra pessoa; 36% disse que passou a respeitar mais a outra pessoa e compreender suas dificuldades; e 24% disse que a outra pessoa envolvida passou a lhe respeitar mais.

EFEITOS REFLEXOS: além de aumentar o índice de acordos e facilitar o efetivo entendimento entre as partes, tais práticas têm gerado uma mudança na cultura da comarca, notadamente na visão dos advogados e dos servidores da Justiça em relação aos conflitos/ações.

Os advogados também têm se mostrado tocados pelas constelações, assimilando a visão sistêmica, assumindo uma posição mais conciliadora e colocando-se como auxiliares da Justiça nas ações.

O movimento pela conciliação na comarca em 2013, que incluiu as palestras e os mutirões de audiências de conciliação, despertou o empenho dos servidores, advogados e de diversas outras pessoas da comunidade, que de forma voluntária auxiliaram nos trabalhos forenses, animados pelo clima positivo resultante dos trabalhos realizados.

 

Veja também: 

http://direitosistemico.wordpress.com/2012/10/26/vivencia-de-constelacoes-familiares-no-forum-de-castro-alvesba/

http://direitosistemico.wordpress.com/2013/05/31/aplicacao-de-terapia-de-constelacoes-familiares-na-justica-pelo-juiz-sami-storch/

http://direitosistemico.wordpress.com/2013/09/23/constelacoes-familiares-no-forum-de-castro-alves/

Visite a página Direito Sistêmico no Facebook:

https://www.facebook.com/direitosistemico

separator

separator